• novo

Santa Gertrudes

 

 

Bem-aventurado Josafat Kocylovsky

Bispo e mártir (†1947) Comemoração: 17 de novembro

No dia 3 de março de 1876 nascia um menino na Polônia. Seus pais deram-lhe o nome de Iosif. Recebeu uma educação católica por parte de seus pais. Após os estudos da infância e da primeira juventude, ingressou na faculdade de direito na Universidade de Leópoli em 1896. Dois anos depois, interrompeu os estudos para prestar o serviço militar. Em 1901 entra no colégio Ruteno de Roma para empreender os estudos eclesiásticos. Seis anos depois, após terminar os estudos, é ordenado presbítero no dia 9 de outubro de 1907. Desempenha a tarefa de professor de teologia e vice-reitor do seminário de Stanislov. Em 1911, padre Iosif entra na ordem de São Basílio e se torna monge. Ao fazer seus votos, recebe o nome religioso de Josafat. Continua como professor na escola monástica e, posteriormente como reitor do seminário de Kromeretz, que possuía 75 seminaristas. Em 1916 vai para a Ucrânia Ocidental e, no ano seguinte, é ordenado Bispo. Seu ministério começa ao final da I Guerra mundial. Dedica-se ao trabalho missionário e ao impulso da vida religiosa. Preocupa-se igualmente com a formação de seu clero. Funda na Ucrânia a ordem salesiana e redige a regra para a comunidade das Irmãs de São José. A tempestade da I Guerra mal havia passado quando no horizonte, começam a aparecer as nuvens carregadas da II Grande Guerra. De fato, em 1939, uma parte de sua diocese é ocupada pelos soviéticos. Em seguida, vem a ocupação alemã, que durará cerca de três anos. Por fim, novamente o Exército vermelho toma o território para si. É nesse contexto que o bispo Josafat é preso, no dia 17 de janeiro de 1946. No primeiro interrogatório lhe é proposto de renunciar à comunhão com o Papa de Roma e se unir à Igreja Ortodoxa russa. Josafat rejeita essa ideia. É liberto, mas pouco tempo depois seria preso e deportado. Antes consegue escrever uma carta demonstrando sua fidelidade ao Papa Pio XII: “No caso de eu ser preso e deportado, suplico humildemente que transmitam ao Santo Padre que me ajoelho diante dele em sinal de minha fidelidade e de minha plena dedicação até o último bater de meu coração, na expectativa filial de sua paterna bênção”. No dia 25 de junho de 1946 foi preso e levado para a União Soviética. Colocado no cárcere em Kiev, se mantém firme em sua promessa de fidelidade ao Papa. Por esse motivo é enviado para o lager nas proximidades de Kiev. Sua idade avançada e sua saúde debilitada sofreram o último golpe: morreu no dia 17 de novembro de 1947. Seu corpo foi resgatado pela freiras ortodoxas do mosteiro da Proteção da Mãe de Deus e sepultado. Suas relíquias se encontram na igreja da Anunciação da Santíssima Mãe de Deus, em Leópoli. Foi beatificado por São João Paulo II no dia 27 de junho de 2001.

 

Fonte: https://pt.aleteia.org/

 

 

Comentários

Congresso